Entender o funcionamento do nosso organismo é o primeiro passo para que possamos fazer as escolhas certas, especialmente na alimentação.  

O intestino irritável é um problema que infelizmente afeta um número cada vez maior de pessoas, que muitas vezes nem sabem que essa síndrome existe. :/

Intestino irritávelNeste texto vou falar um pouquinho mais sobre esse assunto.

Um intestino saudável é o primeiro passo para uma boa saúde. Costumo falar que não somos o que comemos – somos o que digerimos e absorvemos. Isso porque se o processo de digestão não está funcionando adequadamente, é certo que o nutriente não chegará à célula, e assim a nutrição estará comprometida. Ou seja, você come, mas não se nutre. Isso é cada vez mais comum!

O intestino é também um órgão que está diretamente relacionado com o bem-estar. Isso porque mais de 70% da nossa serotonina, neurotransmissor responsável pelo equilíbrio do humor, é formada no intestino.

A imunidade também fica comprometida quando o intestino não está funcionando no seu melhor. 

Por que os problemas intestinais são tão comuns?

Por diversas razões, que muitas vezes vêm desde a gravidez da nossa mãe.

Sim, estudos mostram que uma má alimentação nesse período, assim como parto cesárea e a falta de amamentação podem influenciar negativamente a formação da flora intestinal.

Infelizmente pagamos um preço pelas más escolhas das nossas mães. 🙁

Mas sem mágoas!! Elas certamente não tinham esse conhecimento na época.

Outros fatores que influenciam a saúde intestinal: más escolhas alimentares na infância e na adolescência (industrializados, fast food), uso de antibióticos, contato com contaminantes, baixo consumo de fibras, stress, escolhas alimentares pobres…

Uma condição muito comum hoje, associada ou não a outros distúrbios, é a síndrome do intestino irritável.

O que é a síndrome do intestino irritável?

A síndrome do intestino irritável é um desequilíbrio que ocorre no intestino e que traz sintomas bem incômodos, comprometendo a qualidade de vida.

Com frequência o paciente acredita estar apenas com um sintoma isolado e não percebe que pode estar com alterações associadas que caracterizam a síndrome.

Entre os sintomas mais comuns estão:

  • dor abdominal;
  • estufamento;
  • sensação de evacuação incompleta;
  • excesso de gases;
  • diarreia e/ou constipação.

O diagnóstico da síndrome do intestino irritável é feito por exclusão, ou seja, após avaliação e realização de exames que não apontam nenhuma alteração.

Considerando os sintomas e as queixas frequentes, o diagnóstico é feito.

O que fazer?

Se você sente desconfortos intestinais com frequência, saiba antes de tudo que isso pode até ser COMUM, mas não é NORMAL.

É fundamental procurar ajuda médica para que sejam feitos os exames.

Diagnosticada a síndrome, o primeiro passo é procurar um nutricionista bem atualizado nesse assunto para que um cardápio individualizado possa ser desenvolvido.

Tanto a alimentação personalizada quanto o uso de alguns protocolos (como o FODMAPS, por exemplo) podem ser os caminhos iniciais para a melhora do quadro.

O protocolo FODMAPS sugere evitar-se temporariamente o consumo de alguns alimentos que aumentam a fermentação intestinal. Alguns deles são: brócolis, couve-flor, feijão, grão-de-bico, maçã, pera, leite e derivados, trigo, adoçantes a base de poliois (como xilitol), mel etc.

Mas essa é apenas uma das possibilidades de estratégias para a melhora dos sintomas.

Como eu posso evitar a síndrome do intestino irritável?

A síndrome do intestino irritável não tem cura, mas os sintomas podem não só ser controlados como também evitados por meio de algumas mudanças no estilo de vida e na alimentação.

Praticar atividades físicas regularmente e controlar os níveis de estresse, por exemplo, são medidas que trazem um resultado muito positivo para quem sofre com esse problema.

Quanto à alimentação, as principais recomendações são reduzir ao máximo os alimentos industrializados e refinados.

Também é preciso avaliar as sensibilidades alimentares individuais, uma vez que é comum reações a alimentos como glúten, leite, amendoim e ovo.

Mas, como essas sensibilidades trazem sintomas tardios (2 a 3 dias depois), a associação com o alimento se torna mais difícil. Para tirar de vez a dúvida, um bom exame de sensibilidades alimentares pode ser solicitado por seu nutricionista.

O uso de suplementos e medicamentos também pode ser necessário em alguns casos, mas somente com a prescrição profissional.

A síndrome do intestino irritável deve ser diagnosticada e tratada adequadamente para que não só não atrapalhe a qualidade de vida do paciente como também não evolua para um possível aumento da permeabilidade intestinal, condição que pode levar ao desenvolvimento de doenças autoimunes.

Não seja negligente com a sua saúde. Ouça os sinais do seu corpo e procure ajuda. 😉

 

Se você quer ler mais matérias como esta sobre saúde e nutrição e deseja saber sempre que o meu site for atualizado, inscreva-se na minha newsletter.

Eu te mando um conteúdo bem legal e atual. Prometo não vou encher a sua caixa de emails! 😉❤

Pin It on Pinterest

Share This