Compulsão por doces? Veja 6 possíveis motivos

Compulsão por doces? Veja 6 possíveis motivos

1: Hábito – todo hábito é criado através de repetição. Se você acostuma o seu organismo a comer doces todos os dias ou sempre após uma refeição, você sempre terá essa vontade. Eu não vejo problema algum em comer um docinho nutritivo (como fruta ou um chocolate rico em cacau) todos os dias. Mas se esse hábito está atrapalhando seus resultados, experimente diminuir gradativamente ou cortar por uns dias (cada um funciona de um jeito) para mudar esse padrão.

2: Carências nutricionais – a falta de alguns nutrientes como por exemplo magnésio e cromo aumentam o desejo por doces. Que tal aumentar o consumo de alimentos ricos nesses nutrientes para ver o que acontece? Cacau em pó, amêndoas, grão de bico e sementes são algumas fontes.

3: Alimentação errada – uma alimentação rica em alimentos refinados pode causar desequilíbrios nos níveis de glicose no sangue, aumentando o desejo por doces. Dê preferência ao carboidrato das raízes que são nutritivos e promovem um aumento gradual de glicose.

4: Baixo consumo de gorduras ou proteínas – equilibre suas refeições para que tenham sempre boas fontes de gorduras boas (como azeite, abacate e castanhas) e fontes proteicas (peixe, ovo, quinua, grão de bico), assim seu corpo estará sempre nutrido e saciado.

5: Ansiedade – se você está comendo doces por pura ansiedade já está mais do que na hora de arregaçar a manga e trabalhar essa questão.

6: Você restringe demais a sua alimentação – todos excesso é ruim. E restrição geralmente gera compulsão. Aprenda a arte de equilibrar e não só restringir. ❤️

Nutrientes para ansiedade

Nutrientes para ansiedade

Você sofre contra a ansiedade e isso acaba afetando vários aspectos da sua vida?
Você não está sozinho!
Mais de 40 milhões de adultos são afetados por ansiedade hoje em dia.

A boa notícia é que as nossas escolhas alimentares influenciam diretamente o aumento ou diminuição desses sintomas.
Enquanto os alimentos com características inflamatórias (como açúcar, farinha branca, alimentos industrializados, frituras) pioram o quadro, alguns nutrientes podem acalmar e ajudar a modular os sintomas.

Vamos ver alguns deles?

1. Magnésio
Possui a capacidade única de atravessar a barreira hematoencefálica, servindo como guardião do sistema de resposta ao estresse e bloqueando a entrada de hormônios do estresse no cérebro. A deficiência de magnésio está associada ao aumento da ansiedade, por isso é importante manter os níveis sob controle. Boas fontes: espinafre, cacau, abacate, nozes e sementes.

2. Vitaminas do complexo B
A carências em especial das vitaminas B-12, biotina, B-6 e folato, estão associadas aos distúrbios de humor.
Elas são essenciais na produção de neurotransmissores, além de apoiar a sinalização nervosa adequada.
Fontes: Vegetais verdes, sementes, castanhas, salmão e ovo.

3. L-teanina
Serve como um modulador para os neurotransmissores do cérebro, ajudando a equilibrar excessos e deficiências, além de aumentar a clareza cerebral e a concentração. Fontes: Matchá, chá verde, cogumelos.

4. Probióticos e probióticos
Uma flora saudável desempenha um papel na produção de nossos neurotransmissores responsáveis pelo bem estar como a serotonina e o GABA.
Fontes: Probióticos (manipulados individualmente), kombucha, goma acácia, banana verde.

5. L-triptofano
Percussor da serotonina, que nos deixa felizes e de boa. Fontes: Banana, grão de bico, açaí, ovos.

Tudo começa nas escolhas!!

-Inspirado em artigo da Mind Body and Green 😉

FODMAPS – O que é e para que serve?

FODMAPS – O que é e para que serve?

Você já ouviu falar em protocolo FODMAPS para melhora da saúde intestinal?

Apesar de ser um pouco restritivo (e por isso deve ser feito pontualmente) é uma estratégia excelente e muito eficiente para a melhora especialmente de gases e estufamento.

Uso bastante nos meus pacientes que precisam e o resultado é sempre muito positivo.

Os FODMAPS são um conjunto de carboidratos que podem ser de difícil digestão para algumas pessoas (monossacarídeos, dissacarídeos, oligossacarídeos e polióis). Esses alimentos, apesar de nutritivos, tem uma característica osmótica (absorvem água) e fermentativa, piorando sintomas de gases e estufamento.

Entre os alimentos FODMAPs estão:
– Frutose (maçã, pêra, melancia, manga, mel);
– Lactose (laticínios);
– Frutanos (trigo, alho, cebola, aspargos fresco, brócolis, repolho);
– Galactanos (leguminosas como feijão, lentilha, soja e grão de bico);
– Polióis (xilitol, couve flor, cogumelos e frutas de caroço como abacate, damascos, cerejas, nectarinas, pêssegos e ameixas).

Sim, tem vários alimentos saudáveis nessa lista!
Por isso é importante (como sempre) uma análise individual e uma aplicação pontual, em fases agudas.

É importante lembrar também que esse protocolo por si só não resolve problemas intestinais mais sérios. Entender a origem dos distúrbios (disbiose, SII, aumento da permeabilidade intestinal) e tratar as causas (dificilmente é uma só) é fundamental para um resultado efetivo e duradouro.

Bebidas Quentes e Nutritivas

Bebidas Quentes e Nutritivas

Eu que amo uma bebida quente em qualquer hora, trouxe algumas idéias nutritivas para vocês, que vão além do café com leite. Anota aí.

1. Matcha Latte – misture 1 colher de chá de matchá em pó com o leite vegetal de sua preferência para uma bebida autêntica e cheia de antioxidantes;

2. Golden Milk – 1 colher de chá de cúrcuma, 1 pitada de pimenta do reino, 1 colher de café de manteiga ghee, 1 pitada de canela e cardamomo + leite de coco ou amêndoas – bata, aqueça e você terá uma xícara de substâncias maravilhosas e anti-inflamatórias que farão suas células vibrar de alegria!

3. Chocolate Quente – misture leite de castanhas ou coco com cacau em pó, extrato de baunilha natural (opcional), colágeno em pó ou proteína (opcional, use se quiser) e alguns quadrados de chocolate rico em cacau. Tudo bem quentinho, para o chocolate derreter. Bata no liquidificador e por cima finalize com cacau nibs;

4. Vanilla Latte – leite vegetal de sua preferência, 1 pitada de canela, 1 colher de chá de óleo de coco (ou TCM), 1 scoop de whey protein ou proteína vegetal sabor baunilha, extrato natural de baunilha (opcional)- aqueça e bata tudo;

5. Chai Latte – chá com especiarias como cardamomo, canela e gengibre, misturado com leite vegetal quentinho.

6. Smoothie Quente de Coco – leite de coco batido com 1 banana pequena, 1 colher de sob de maca peruana (opcional), 1 pitada de canela, 1 punhado de castanhas de cajú, 1 punhado de lascas de coco tostadas. Aqueça o leite e bata os ingredientes no liquidificador. Coloque por cima as lascas de coco e sirva.

Garanto que são todos uma delícia!

Lasanha de abobrinha com molho pesto

Lasanha de abobrinha com molho pesto

Ingredientes (lasanha):
– 2 abobrinhas grandes;
– Molho de tomate;
– Molho pesto;
– Fatias de Queijo a gosto (da sua preferência);
– Temperos (orégano).

Ingredientes do molho pesto:
– 3 folhas médias de couve mineira;
– 1 colher de sopa de abacate;
– 5 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem;
– suco de 1/2 limão;
– 1 dente de alho pequeno;
– 2 colheres de sopa de nutritional yeast (opcional);
– Sal a gosto.

Preparo (molho): bata tudo no liquidificador/mixer até ficar uma mistura homogênea.

Modo de fazer (lasanha):
Corte as abobrinhas em lâminas. Ferva água em uma panela; coloque as lâminas de abobrinha por 1 minuto em água fervente (para amolecer). Reserve.
Em um refratário, coloque a primeira camada de lâminas de abobrinhas. Em seguida, uma camada de molho de tomate; Outra camada de molho pesto e fatias de queijo. Repita as camadas até preencher todo o refratário. Na última camada, faça de queijo e coloque orégano (a gosto). Leve ao forno por 25-30 minutos.

OBS: pode adicionar frango desfiado, legumes picados, hommus ou tofu no lugar do molho pesto.

Pin It on Pinterest